Peregrinação da Virgem da Cabeça

Localizada em uma paisagem magnífica da cordilheira de Andújar, com uma floresta mediterrânea aninhada no parque natural de mesmo nome, encontramos uma igreja em uma colina que domina toda uma área e que parece sair de outros tempos. É o santuário da Virgen de la Cabeza , o local de veneração da mais antiga peregrinação da Espanha e onde a virgem é venerada desde o século XIII, logo após a conquista das tropas cristãs e a batalha das Navas de Tolosa

A invocação mariana começa com o aparecimento da virgem a um pastor que resultou em uma peregrinação que começou imediatamente. Uma virgem com corantes medievais góticos foi criada e modelada e o primeiro santuário de proteção e local de descanso da virgem foi construído.

Este santuário sofreu a devastação do tempo por vários séculos e a construção que atingiu os dias atuais corresponde à restauração do grande arquiteto renascentista Andrés de Vandelvira no século XVI.

A virgem foi coroada pela bula papal em 1909 sendo padroeira de Andújar e mais tarde em 1959 pelo papa João XXIII padroeiro da arquidiocese de Jaén. Comente que esse duplo reconhecimento ocorreu porque, durante a Guerra Civil em que o santuário foi quase destruído, a imagem original de origem medieval se perdeu para sempre e teve que ser substituída por outra que também foi coroada de maneira canônica.

A celebração da peregrinação acontece no último domingo de abril, em que as irmandades filiais de toda a Espanha, bem como a irmandade titular de Andújar, peregrinam em uma subida à colina onde está localizado o santuário mariano.

As irmandades são recebidas pelo prefeito da cidade que inicia uma procissão de ascensão.

No entanto, hoje em dia a imagem medieval não é vista, Virgen de la Cabeza hoje do século XX, é uma escultura em madeira de cedro policromático do estilo bizantino, onde a mãe de Deus é apresentada sentada em um pequeno assento sem encosto e segurando o Menino jesus A imagem foi feita pelo escultor Navas Parejo.

A imagem habitual da virgem está usando uma túnica carmesim apertada com um pequeno triângulo de linhas verticais no estilo hebraico, com mantos de ouro azul aludindo à encarnação e sua imaculada concepção e com um cocar branco que revela seus cabelos escuros que Ele cai em seus ombros.

Ao longo de sua história, você viu e vestiu mantos bordados pelo centenário, ou outros eventos excepcionais, e quando a peregrinação é realizada, ela é coroada com a coroa da rainha.

Sexta-feira é o dia da recepção do prefeito de Andújar às irmandades filiais e da partida da irmandade nominal, as irmandades fazem as oferendas à virgem e a oração da pomada é realizada antes da partida para o Santuário.

O início é no sábado, com a peregrinação ao Santuário de Cerro del Cabezo, através do Parque Natural da Serra de Andújar. Os Romeros estarão em uma carroça ou a cavalo organizados em clubes de família e amigos desde o início em direção à Basílica e Santuário Real da Virgem da Cabeça ao longo do Caminho Antigo, acompanhando a Irmandade Matrix em procissão. A primeira parada será em San Ginés, onde há um eremitério dedicado à Virgen de la Cabeza. O segundo será no Lugar Nuevo, uma fazenda às margens do rio Jándula. É aqui que os peregrinos que vão ao Santuário se juntam pelo já indicado Caminho Velho em mula, cavalo ou carroça, onde milhares de pessoas que desfrutam de um piquenique onde pratos típicos da região, como carne de Carne com tomate, flamenquin e todos os tipos de salsichas.

A chegada ao Santuário acontece no mesmo sábado à tarde e ali, em casas de irmandades, clubes, carrinhos e barracas, passam a noite esperando a partida de La Morenita no domingo de manhã, logo de início. do templo anunciam ao meio-dia, o momento culminante da peregrinação, a procissão da Santíssima Virgem da Cabeça. onde uma massa e procissão serão realizadas ao redor do santuário e arredores.